Federeração de Esgrima do Estado do Rio de Janeiro
www.esgrimarj.com.br

ESGRIMA EM CADEIRA DE RODAS

Publicado em 26/07/2016


Destinada a atletas com deficiência locomotora, a esgrima adaptada data de 1953 e foi aplicada originalmente pelo médico alemão Ludwig Guttmann, o pai do movimento paraolímpico. A modalidade, uma das mais tradicionais dos Jogos Paraolímpicos, é disputada dede a primeira edição dos Jogos, em Roma-1960.

A disputa segue as regras da Federação Internacional de Esgrima (FIE), mas é administrada pelo Comitê Executivo de Esgrima do Comitê Paralímpico Internacional (IPC). Em competição, as pistas medem 4m de comprimento por 1,5m de largura, e as cadeiras de rodas ficam fixas ao chão. Se um dos esgrimistas mover a cadeira, o combate é interrompido. Há duelos de florete, espada e sabre. Para cada prova há uma proteção específica para o competidor e para as cadeiras, além de regras para a pontuação ser validada.

Em Londres-2012, o Brasil faturou pela primeira vez uma medalha na modalidade, sendo nada menos do que o ouro. Jeovane Guissone derrotou os franceses Marc Cratere e Alim Latreche nas quartas de final e na semifinal, respectivamente. Na decisão, superou a disputa acirrada com Chik Sum Tam, de Hong Kong, por 15 a 14. O gaúcho ficou paralisado após levar um tiro nas costas durante um assalto.

Classificação

Classe 1A
Atletas sem equilíbrio sentado, com limitações no braço armado, sem extensão eficiente do cotovelo e sem função residual da mão. Nesse caso, é necessário fixar a arma com uma atadura;

Classe 1B
Atletas sem equilíbrio sentado, com limitações no braço armado. Detém extensão funcional do cotovelo, mas sem flexão dos dedos. Nesse caso, a arma é fixada com uma bandagem;

Classe 2
Atletas com total equilíbrio sentado, com braço armado normal. Paraplegia do tipo T1/T9 ou tetraplegia incompleta com sequelas mínimas no braço armado e bom equilíbrio sentado;

Classe 3
Atletas com bom equilíbrio sentado, sem suporte de pernas e braço armado normal. Pequenos resquícios de amputação abaixo do joelho ou lesões incompletas abaixo da D10 ou deficiências comparáveis, mas com manutenção do equilíbrio sentado;

Classe 4
Atletas com bom equilíbrio sentado, com suporte das extremidades superiores e braço armado normal, como lesões abaixo da C4 ou deficiências comparáveis;

Limitações mínimas
Deficiência dos membros inferiores comparável a amputações abaixo do joelho.

*Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)

As provas

Florete, espada e sabre.

Curiosidades

Líder dos duelos
O topo do ranking dos medalhistas na esgrima em cadeira de rodas pertence ao francês Christian Lachaud. O atleta subiu ao pódio nas edições de 1976, 1980, 1992, 1996 e 2000. Apesar de não ter o maior número de pódios nos Jogos Paraolímpicos (13), atrás do compatriota Andre Hennaert (14) e do italiano Roberto Marson (15), Lachaud ainda figura em primeiro lugar por ter uma medalha de prata a mais que Hennaert.

Saiba mais em:

Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)
Site: 
www.cpb.org.br
E-mail: contato@cpb.org.br
Comitê Paralímpico Internacional (IPC): www.paralympic.org

Voltar